Postado em 07 de abril de 2017

Precisamos de edifícios mais inteligentes

Leandro Augusto
Diretor da Automatize

Edifícios inteligentes apresentam diversas soluções que geram conforto e segurança aos seus frequentadores, porém não deixam de ser eficientes com relação ao consumo de seus recursos, entre eles, a energia elétrica. Uma das soluções que cooperam para a inteligência predial é a automação.

Do que se trata a automação predial e qual é o seu objetivo?

A Automação Predial é a supervisão, controle e gerenciamento dos sistemas de iluminação, climatização, segurança, elevadores, bombas hidráulicas, motores, medição de água, energia e gás instalados em prédios residenciais ou comerciais, shopping centers, malls, aeroportos, estádios, hospitais, hotéis, entre outros .

A supervisão é a capacidade que o sistema de automação predial tem de informar, através de monitores e relatórios, o estado de funcionamento e consumo dos recursos instalados no edifício. Através do controle, o sistema de automação predial permite que o operador, através de sua estação de trabalho, ligue ou desligue iluminação, diminua a temperatura do ar-condicionado, visualize se há defeito em algum elevador, visualize os alarmes do sistema de detecção de incêndio, entre outras ações. Essas ações podem ser ativadas por esse operador ou automaticamente pelo sistema de automação predial. Em outras palavras, o edifício toma decisões inteligentes sempre no sentido de diminuir o consumo de energia, aumentar a segurança e o conforto de seus frequentadores.

Como a automação predial pode simplificar a gestão dos recursos de um edifício?

Podemos exemplificar diversos tipos de situações para comprovar como o sistema de automação predial simplificar a gestão do edifício. Um edifício comercial possui uma rotina diária na qual o número de pessoas que entram e saem se altera em cada período do dia. Essa movimentação de pessoas provoca modificação na temperatura interior do edifício. O sistema de automação é capaz de gerenciar a climatização de acordo com essa movimentação de pessoas. Evita-se que o sistema de climatização fique setado em apenas uma temperatura, o que pode aumentar o consumo de energia e não propiciar conforto térmico para os frequentadores. O sistema também pode aproveitar o conforto térmico que a temperatura exterior provoca no interior do edifício durante o período da noite, retardando a ativação do sistema de climatização no início das manhãs, o que reduz o consumo de energia.

Dependendo da extensão do edifício, sabemos que é grande o número de luminárias instaladas. O sistema de automação consegue gerenciar o sistema de iluminação de acordo com os períodos do dia para aproveitar ao máximo a luz natural. Evitam-se ambientes com luminárias ligadas desnecessariamente. Outro fator importante é que o sistema de automação auxilia a gestão de manutenção dos recursos do edifício. Ele é capaz de avisar a equipe de manutenção quando é detectado que há luminárias queimadas, lembrando-se sempre que esse processo é totalmente automático. O mau funcionamento de bombas hidráulicas pode causar problema de fornecimento de água no interior do edifício. Na maioria das vezes esse problema é causado por não haver um sistema que monitore as condições de funcionamento das bombas. O sistema de automação predial é capaz de detectar inconformidades no funcionamento dessas bombas, reportando-as à equipe de manutenção.

Automação Predial e Eficiência Energética

Sabemos que o Brasil é um país abençoado com uma gama considerável de recursos naturais que quase não existem em outros país. A nossa principal fonte de energia provém de usinas hidroelétricas, porém o carvão ainda é a fonte de energia mais comum do planeta. A maior parte da energia gerada é perdida em calor e também na transmissão. Apenas 10% (dez por cento) da energia se transforma em luz. Com o aumento dos custos de energia e principalmente de uma maior preocupação com o meio ambiente nos últimos anos, está havendo uma procura maior por soluções que propiciem eficiência energética nos edifícios. Um exemplo dessa mudança de cultura é o selo de certificação LEED (Liderança em Energia e Design Ambiental) e o selo Procel Edifica. Essas certificações, cada qual com suas particularidades, demandam um conjunto de cumprimentos de diversos critérios que definem que um edifício é capaz de oferecer conforto e bem-estar aos seus frequentadores, porém utilizando de forma eficiente seus recursos. Um dos parâmetros avaliados para obter essas certificações é a eficiência energética, que é propiciada, também, pela implantação do sistema de automação predial. A eficiência energética é a capacidade de utilizar os recursos de um edifício sempre visando um equilíbrio entre o conforto e a segurança das pessoas e consumo de energia.

O que qualquer pessoa pode observar em várias edificações é o seguinte: em edifícios comerciais sem o sistema de automação predial, logo que a equipe da portaria chega, ativa totalmente o sistema de iluminação e climatização. Podemos perceber vários ambientes que estão recebendo a luz natural da manhã com todas as luminárias acesas. Percebemos também ambientes com temperaturas baixas, que causam desconforto térmico, ou seja, ambientes em que a temperatura setada no sistema de climatização é imprópria para aquele horário e para o número de pessoas que estão presentes naquele momento. Esse é um exemplo típico que se repete em várias edificações diariamente e que eleva consideravelmente o consumo de energia do edifício.

O sistema de automação racionaliza a utilização dos recursos do edifício e diminui o consumo de energia. Atualmente, os grandes vilões do consumo de energia são os sistemas de iluminação e climatização. Esses sistemas respondem por até 80% (oitenta por cento) do consumo de um edifício corporativo. Estudos de fabricantes de sistemas de automação comprovam que pode haver redução de até 60% (sessenta por cento) no consumo de energia da edificação caso haja a implantação de um sistema de automação em conjunto com ações realizadas em outros projetos: projeto de arquitetura beneficiando o aproveitamento da luz natural e conforto térmico, projeto luminotécnico dimensionado corretamente de acordo com a quantidade de luz artificial necessária para cada ambiente, projeto de climatização visando o equilíbrio entre temperatura externa e temperatura interna, projeto de automação dimensionado para efetuar o controle dos recursos, porém visando sempre a redução do consumo de energia. Outro fator que influencia na eficiência energética do edifício é a capacidade do sistema de automação integrar os vários sistemas instalados: iluminação, climatização, segurança, entre outros. Um sistema que não consegue integrar o controle do sistema de iluminação e climatização, pode sofrer uma perda de até 15% (quinze por cento) de eficiência energética.

A eficiência energética é apresentada mais claramente em gráficos e relatórios que o sistema de automação predial gera diariamente, mensalmente e anualmente. Através de medidores inteligentes de energia, o sistema é capaz de relatar ambientes que estão economizando energia e também os ambientes com baixa eficiência energética. Os gestores do edifício com esses dados são capazes de identificar e corrigir problemas que estão causando aumento do consumo de energia.

Arquitetos, engenheiros, construtores,incorporadores e governantes, precisamos de edifícios mais inteligentes!